Conversativa com o ‘Não Compre, Plante’ sobre a Copa Uruguai 2013!

ConverSativa

hempadao 29 julho, 2013

Hoje o conversativa é com um camarada muito gente fina! Cultivador experiente e já com um currículo de peso no mundo das competições na América Latina, o Não Compre Plante é um grande exponente da cultura do cultivo caseiro no Brasil. A entrevista publicada aqui na íntegra serviu também para ilustrar a participação dos brasileiros na Copa do Uruguai em matéria escrita pelo autor do Hempadão a pedido da revista argentina THC. Leia e descubra um pouco mais sobre a realidade de nossos hermanos uruguaios:

1) Como foi chegar lá com as amostras? Foi tranquilo? Quanto precisava para competir, com o que você competiu?

Preciso dizer sinceramente que na ocasião, tive mais medo de voar de avião do que levar os buds, pois nunca antes tinha feito vôo algum. Consultei alguns amigos que já haviam viajado levando flores em pequenas quantidades somente para consumo e percebi que tomando alguns poucos cuidados é mais tranqüilo do que pensei. Mas tranqüilidade 100% de verdade somente na saída do aeroporto de Montevidéu aonde pegamos uma Van que nos levou até o hotel e lá chegando, como não poderia ser diferente, já saímos tacando fogo em tudo.

As amostras necessitavam ter 5 G para poder concorrer e cada participante poderia concorrer com até 2 amostras. Concorri com a Cynd 99 que acabou ficando em quarto lugar. Tinha apenas uma semana de cura ao contrário da amostra campeã da copa GR que tinha perto de 3 meses. E também concorri com a Chem Dawg Double Diesel que estava com duas semanas de cura, com um gosto seco, levemente amadeirado tendo como final uma explosão picante de ferver o nariz e que felizmente acabou levando o troféu.

2) Qual foi sua colocação? Esperava por esse resultado?

Fiquei em segundo lugar geral com primeira menção em cultivo indoor. Não esperava chegar entre os primeiros, pois as flores não estavam curadas em tempo adequado e também por concorrer diretamente com nossos hermanos que cá entre nós estão alguns anos luz a nossa frente quando o assunto é cultivar cannabis.

3) Que impressões você teve da competição dos caras?

O evento foi nota 10 e os organizadores estão de parabéns. Realizar um evento desse tipo expressa a competência das pessoas que o organizaram, ainda mais por ser um evento o qual participaram entre 500 e 600 pessoas acredito eu. O ambiente era muito irado, diversos stands mostrando as parafernálias e novidades do mundo cannabico, musica boa e muita ganja pra fumar.

Sobre a competição achei bacana o padrão escolhido pelos anfitriões, mas pessoalmente ainda prefiro o padrão realizado na copa GR aonde todos os cultivadores votam e participam contra todos. Talvez acrescentasse duas categorias como ocorreu também na copa do Uruguai ( in e out ). Acredito que um dia ainda teremos um modelo ideal.

image4) Pretende participar das próximas copas nacionais e internacionais?

Espero que sim, estou com flores um pouco mais curadas do que as que competi no Uruguai. Pretendo competir com uma Chem Dawg Purple que esta com 2 meses de cura e na data da copa Mar Del Plata ela estará com 12 semanas de cura. É uma boa aposta e honestamente na copa GR além da Cynd99 que foi a campeã competi com essa Chem dawg Purple também e sem falsa modéstia estava um puro néctar, pensei até que ficaria melhor colocada que a c99, porém não passou da primeira fase da competição. E a outra amostra ainda estou indeciso entre a c99 ou Double diesel.

Pretendo ir pra copa Mar Del Plata e na copa GR novamente. Curto muito esse tipo de evento, sempre com pessoas da hora, e que cultivam o mesmo interesse. Mesmo quando não tiver flores pra concorrer gostaria de estar presente em todos os eventos desse tipo.

5) Esse já é seu segundo troféu – tá ficando experiente! O que mais aprendeu nessas competições?

Porra eu sinto muito orgulho disso cara, até me emociono de falar. Pra mim não tem maior satisfação do que cultivar uma flor e ver que essa flor encanta sendo sempre uma das preferidas da galera que vota e aprecia-as nos eventos. Vale lembrar que além do primeiro lugar na copa GR e segundo lugar na copa do Uruguai ainda fiquei em terceiro lugar da primeira Rio 4:20 Cup.

Aprendi que melhor do que competir é confraternizar. No Uruguai estávamos em um hotel entre brasileiros, uruguaios, chilenos, paraguaios e colombianos e apesar de não entender muito da língua deles me sentia em casa com excelentes irmãos e flores. Não sei explicar o porquê, mas me sinto muito bem durante essas ocasiões.

6) Como foi a estadia no Uruguai, fala um pouco do ambiente deles – é verdade que pode fumar na rua?

Surreal. A vontade era de ficar por lá e não voltar jamais a republica das bananas. Vários picos pra comer, e isso é essencial em qualquer trip canabica. Ficamos em um hotel muito da hora em uma rua aonde existem vários PUBs com umas mesinhas e cadeiras na rua. Sentamos e bebemos cerveja quente que desceu muito redonda graças a temperatura de 2 graus na madrugada. Acendemos vários ali mesmo e ninguém sequer olhou torto, pelo contrario ainda colaram na gente pedindo para dar uns dois.

Fumávamos na rua em qualquer lugar a qualquer hora sem aquele estigma brasileiro de que a qualquer momento teremos que engolir o baseado J. Ainda presenciamos uma cena curiosa aonde um policial saiu correndo atrás de um suposto suspeito e curiosamente ao invés de sacar a arma sacou a carteira de identidade policial. Se fosse aqui no Brasil e o cara sai correndo infelizmente quem corre atrás dele são as balas e não a policia.

DSC04342

7) Pra fechar, o que mais marcou sua viagem rumo a 2 Copa Canabica do Uruguai?

É um choque de realidades, em um lugar você poder fumar livremente na frente de viaturas, edifícios presidenciais, beira rio, centro, etc… e ninguém ta nem ai pra o que você esta fazendo. Em contra partida em um lugar não muito longe dali chamado Brasil existe uma tremenda cortina de fumaça que impede que a informação correta chegue as grandes massas, e por conseqüência de leis arbitrárias que rasgam a constituição muitos usuários, sejam recreacionais, religiosos, ou medicinais foram e continuam sendo presos injustamente. Alguma coisa deve ser feita, é impossível não haver um meio termo entre a legalização oba oba e a proibição absoluta.

Outra observação a fazer é que la os uruguaios comentavam muito sobre o primeiro cultivo coletivo que estariam iniciando em breve. Isso seria um tapa na cara do governo pois se fumar não é crime as pessoas tem o direito de obter suas flores através de alguma fonte, e que de preferência não alimente um sistema corrupto e maligno como a grande maioria ainda faz no Brasil.

E galer pra finalizar sempre relembrando… Nao Compre Plante!!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina