Conclusão – O que podemos fazer?

OnJack

hempadao 8 abril, 2013

Postagens anteriores aqui!

Com base na informação fornecida neste livro, exigimos um fim da apli­cação destas leis proibicionistas. Todas as leis relativas ao cultivo da planta de câ­nhamo devem ser eliminadas dos estatu­tos, incluindo o Tratado da Convenção Única das Nações Unidas de 1961, na assi­natura do qual Anslinger representou os Estados Unidos. Embora tenha sido força­do a aposentar-se por um presidente Kennedy incomodado com as palhacices que fez na convenção democrática, o lega­do de mentiras e falsidades que Anslinger deixou está bem vivo em 1998.

As autoridades devem um pedido de desculpas a todas as pessoas que cumpri­ram penas de prisão relacionadas com cannabis (até agora 14 milhões de anos em tempo agregado), que tiveram de enfren­tar os tribunais, que viram as suas edu­cações, famílias e profissões despedaçadas, e muitas vezes as suas vidas destruídas.

 

Devemos também um pedido de des­culpas a docentes, polícias e juízes ho­nestos mas ignorantes, por não termos tido a coragem de erguer a voz e educá–los. Mas não são devidas desculpas aos líderes empresariais e governamentais que, motivados pelo lucro, agiram ilegal­mente de forma a censurar e refutar a verdade inegável do cânhamo.

O QUE A JUSTIÇA EXIGE

A justiça exige nada menos do que o levantamento de todas as sanções (criminais e cíveis) e a abolição das res­trições ao cultivo e uso — tanto fumado como não-fumado — desta mais notável das nossas plantas.

Os prisioneiros a cumprir pena por posse, venda, transporte ou cultivo pací­ficos de cânhamo-de-cannabis devem ser imediatamente libertados. O dinheiro e os haveres apreendidos devem ser resti­tuídos. Devem ser apagados os registos criminais, concedida uma amnistia e pa­ga alguma espécie de compensação pelas penas cumpridas. Estes prisioneiros da cannabis são as verdadeiras vítimas deste crime monstruoso contra a Humanidade chamado "Guerra às Drogas".

Em última análise, não serão aceitáveis meias medidas.

Entretanto, devemos começar por declarar uma moratória na aplicação das leis sobre o cânhamo/marijuana. E deve­mos proceder celeremente à reparação e expansão dos arquivos nacionais e registos históricos sobre o cânhamo e os seus múl­tiplos usos.

O OnJack publica, semanalmente, trechos da tradução do livro de Jack Herer, The Emperor Wears no Clothes.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina