Caricom avança em direção à descriminalização da maconha

Clipadão

hempadao 12 março, 2014

Fonte: Exame.com

Kingstown – Os países da Comunidade do Caribe (Caricom) avançam em direção à descriminalização da maconha, ao pedido de compensações à Europa pela escravidão sofrida por seus povos e uma maior integração econômica regional.

Os três pontos, junto ao compromisso de aumentar o uso de novas tecnologias para alavancar o desenvolvimento, foram os principais assuntos discutidos na cúpula da Caricom, encerrada nesta terça-feira na capital de São Vicente e Granadinas.

 

Mesmo faltando a divulgação das conclusões finais do encontro, a reunião ressaltou a necessidade de se aprofundar em uma posição conjunta da Caricom sobre a descriminalização da maconha com fins medicinais.

Segundo os argumentos mencionados, o objetivo dessa medida é fazer com que a região capte os lucros de uma indústria de produtos de maconha com fins médicos, tendo em vista que os países do Caribe possuem grandes áreas inexploradas.

O presidente da Caricom e primeiro-ministro de São Vicente e Granadinas, Ralph Gonsalves, anfitrião da reunião, foi o principal defensor desta medida, assinalando que as leis dos países da região devem ser revistas, especialmente em relação às pequenas quantidades para uso pessoal.

O relatório de debate da Caricom ressalta o benefício econômico da descriminalização da maconha, como já ocorre em vários estados dos EUA.

Uma das inquietações apontadas por Gonsalves e outros dirigentes da Caricom é que a falta de consenso acabe dividindo o bloco em relação a este assunto, principalmente em referência à Jamaica

O ministro de Ciência, Tecnologia, Energia e Mineração e representante do governo na Câmara dos Representantes da Jamaica, Phillip Paulwell, anunciou no final do último mês que a descriminalização em seu país deve ocorrer ainda neste ano.

A iniciativa, segundo Paulwell, não vai supor sua legalização, mas sim a regulação do consumo em pequenas quantidades, que, consequentemente, deixará de ser considerado um delito.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina