Burocracia da justiça livra cultivador de condenação

WeedNews

hempadao 15 maio, 2016

Terminou bem o BO de um médico, morador de Santos, que chegou a ficar 3 dias na cadeia por cultivar 5 pés de maconha dentro de casa. Após ter o processo desclassificado do crime de tráfico para o de porte de drogas, o cultivador escapou de ser punido como usuário por conta da prescrição do delito. 

Por unanimidade, os desembargadores Fábio Gouvêa, Nuevo Campos e Rachid Vaz de Almeida, da 10ª Câmara de Direito Criminal, tomaram essa decisão ao apreciar a apelação da defesa. 

Os desembargadores alegaram que, após desclassificar o tráfico para o porte de droga, a juíza deixou de ser competente para julgar o processo, que deveria ser remetido ao Juizado Especial Criminal (Jecrim). 

Como o prazo para o processo ser encaminhado para o Jecrim já prescreveu, o cultivador escapou sem qualquer punição. “Assim é caso de anular parcialmente a respeitável sentença, mantida a desclassificação, mas afastada a condenação.” 

O caso em questão aconteceu em novembro de 2012, em Santos. Com uma ordem judicial, policiais entraram no apartamento do médico e encontraram cinco vasos com maconha cultivada em uma estufa e uma pequena porção da erva seca. Preso em flagrante, ele ficou três dias na cadeia e obteve liberdade provisória para responder ao processo em liberdade.



7 respostas para “Burocracia da justiça livra cultivador de condenação”

  1. Calebe disse:

    Com certeza o fato de ser médico, e consequentemente ganhar mais do que a maioria das pessoas, deve ter ajudado a não ser taxado de traficante, mas se fosse um pobre, miserável, zé ninguém, que só gosta de fumar e não quer recorrer ao tráfico esse com certeza iria para a cadeia como traficante.

  2. Diogo disse:

    Então a bosta do pt já roubava no poder a 12 anos e nunca se quer tocou no assunto legalização da Maria huana e idiotas petistas ainda sonhava em legalização . Entrou outra bosta de partido aí vamo ver se vai levar mais 12 anos e não vão s falar nisso … Acorda brasil…

  3. Diogo disse:

    Médico réu primário residência fixa casa na praia carro muita grana no banco enfiemmmm …….não é um comunista nem vota no pt e não é ladrao ….. Só por isso não ficou no xadrez

  4. Murijuana disse:

    Será que se ele não fosse medico, teria o mesmo desfecho esse caso???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina