As Drogas e o Cristianismo – REeDUcaÇÃO #29

REeDUcaÇÃO

hempadao 14 maio, 2013

por Guilherme Storti

capa-do-livro-o-cristc3a3o-e-as-drogas-2Salve!

Então pessoal, o REeDUcaÇÃO de hoje vem trazer esse tema um tanto quanto delicado, a relação do cristianismo com o uso de drogas. Não é de hoje que os usuários ou aqueles que manipulam substâncias psicoativas sofrem perseguição dessa doutrina religiosa, muito pelo contrário, é uma cultura milenar do cristianismo.

Digo cultura, pois a mesma remete-se a costume, e de fato os cristãos tiveram por toda sua trajetória o costume de perseguir todo tipo de cultura que destoasse daquilo que eles pregavam como o “certo”. Obviamente que essas perseguições já tiveram proporções e consequências muito mais graves, porém, elas ainda continuam e cada vez mais tentam imprimir que a abstinência é o melhor caminho para a salvação e cura do usuário de drogas perante a deus, isso quando não discriminam abertamente os usuários de drogas.

Vale lembrar que, muito provavelmente, a crença em seres superiores ou forças ocultas que regem o ritmo do universo vieram através das experiências dos nossos ancestrais primitivos ao consumirem plantas ou fungos que possuíam substâncias psicoativas. Essa experiência mística e totalmente nova para os hominídeos foi o grande marco para que surgisse a crença de que seres superiores regiam as forças do universo. As alterações sensoriais e de percepção foram determinantes para que essa crença começasse a florescer.

E assim, como boa parte das religiões, o cristianismo também é simbolizado por uma droga e, diga-se de passagem, uma das piores drogas que assolam a humanidade, o álcool. Simbolizando o sangue de cristo, o vinho é colocado na bíblia como uma bebida sagrada e o seu consumo durante os rituais perdura até hoje. Ou seja, sem pejorativos, cristãos também são usuários de drogas.

Agora vem o grande “X” da questão: Por que perseguem tanto os usuários de drogas, se também são classificados como tal (mesmo que acreditem no contrário)? Vale lembrar que a definição de usuário de drogas, não necessariamente afirma que este grupo faça abuso de determinada substância, e isso fica claro nos rituais cristãos, onde a finalidade não é embriagar-se e sim fazer uma representação de estar em consonância com o seu messias. O cristianismo é uma doutrina que prega o sofrimento e a mortificação dos prazeres da carne, logo, beber sim e embriagar-se, não!

Os primeiros atos de perseguição dos cristãos às substâncias psicoativas foram no intuito de fazer com que a doutrina cristã conseguisse se afirmar perante outras doutrinas, principalmente as que usavam ervas medicinais ou alucinógenas, pois era inevitável não temerem que os seus fiéis, tão acostumados com privações pudessem ter contato com tais substâncias que poderiam proporcioná-los experiências místicas totalmente diferente das que eram pregadas pelo cristianismo, que acreditavam que a própria eucaristia já era uma experiência mística em si.

Durante muitos séculos os cristãos seguiram perseguindo aqueles que adotavam um estilo de vida e uma crença diferente das suas, torturando, matando ou “convertendo”, muito sangue foi derramado em nome de cristo e apenas com a finalidade de afirmá-lo como verdade única e absoluta do universo. No século 15 um papa ordenou uma literal “caça as bruxas”, onde diversas pessoas foram torturadas e levadas à fogueira simplesmente por ter conhecimentos fitoterápicos, onde inevitavelmente manipulavam ervas que continham substâncias psicoativas com finalidades terapêuticas e medicinais.

Mais sutil do que no século 15, mas não menos invasivo e agressivo, a caça continua e mais direcionada como nunca. Usuários de drogas são demonizados e perseguidos pela igreja, que prega que a única salvação para aquele grupo de pessoas é a abstinência, o sacrifício. Usam e abusam das fragilidades emocionais das pessoas com a promessa de um “conforto” espiritual e o perdão de cristo perante todos aqueles “pecados”.

Hoje a política de drogas no Brasil está à beira do abismo justamente por causa da (falsa) moral cristã. A bancada evangélica tenta barrar qualquer avanço que seja baseado em preceitos científicos e tentam a qualquer custo piorar uma política que já se mostrou falida há muitos anos e ainda agregam a internação compulsória junto aos pedidos de mais rigor nas penas envolvendo o uso de drogas. Em uma análise mais racional é possível perceber que a política de internação compulsória nada mais é do que uma forma de também dar uma pena “legal” ao usuário de drogas, e não mais apenas para os traficantes.

bible2Mesmo seguindo os preceitos que são pregados pelos cristãos, encontramos versos valiosos na bíblia que também validam o uso de ervas e plantas medicinais e nos deixam a vontade para termos as nossas interpretações, seguem alguns deles:

Deus disse: "Eis que eu vos dou TODA a erva que dá semente sobre a terra, e todas as árvores frutíferas que contêm em si mesmas a sua semente, para que vos sirvam de alimento. (Gênesis 1, 29)
E a todos os animais da terra, a TODAS as aves dos céus, a tudo o que se arrasta sobre a terra, e em que haja sopro de vida, eu dou toda erva verde por alimento." E assim se fez. (Gênesis 1, 30)

Tudo o que se move e vive vos servirá de alimento; eu vos dou tudo isto, como vos dei a erva verde. (Gênesis 9, 3)
E por último, o meu preferido:

Não esmagará a cana quebrada, E não apagará o morrão que fumega, Até que faça triunfar o juízo;

Enquanto houver a chama, haverá a sabedoria. O morrão não se apagará até que o juízo triunfe.

Está escrito!

Salve!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina