Alinne, 19 anos, RS [Candidata 003 – Miss Marijuana 2013]

Miss Marijuana 2013

hempadao 8 novembro, 2013

1) Nome, idade, estado onde mora.
Alinne, 19 anos, RS.

2) Por que você acha que a maconha foi proibida?

Cara, falando em um contexto mundial, pelo o que conheço da história da maconha e tudo o que a cerca, ela foi proibida no EUA, no mesmo ano que um troxão lá publicou uma matéria acusando a maconha como assassina dos jovens, absurdamente pelo suposto fato egoísta dele ter parentesco com um individuo que acabara de investir muito em outros produtos de uma petrolífera. A maconha como sabemos é abundantemente cheia de atributos em relação a fibras, combustível e longínquas possibilidades de uso para diversas outras coisas, então talvez o tal cara ali motivou a possível intenção dos Estados Unidos de proibi-la, e como sabemos, a alta capacidade de persuasão deste país perante aos demais, ocasionou na proibição e desde já a criminalização da erva se espalhou pelo mundo – claro cada país com seus “motivos” iniciais. Minha opinião especificamente é que a maconha foi proibida pela falta de conhecimento em relação ao seu uso adequado (matéria prima, entre outros) que instigou aos caras que investiram em outras economias, se unirem contra a mesma, pelo contexto acima e por uma das absurdas experiências feitas com os macacos, realizada com grandes quantidades de maconha, para testar se queimava os neurônios ou não, fazendo com que faltasse oxigênio no cérebro dos mesmos, ou seja, a conclusão errônea que espalharam pelo mundo todo e muita gente ainda insiste em acreditar, é que maconha queima neurônios, mas obviamente foi a falta de oxigênio do cérebro dos pobres bichinhos que resultou nessa queima. Contudo, diante desses estudos mau feitos e pela vasta qualidade da planta X a ignorância dos chefes ambiciosos de Estados, acarretou essa penca de problemas que temos de enfrentar atualmente para defender a maconha e seu consumo medicinal ou não.

3) Trabalha ou estuda? Qual sua área de atuação?
Trabalhava até mês passado como auxiliar Administrativo em uma Multinacional (que produz umas das melhores laricas do mundo *-* Hahahh) mas meu contrato de estágio encerrou, agora pretendo cursar psicologia, já conclui vários cursos, e sempre estou me atualizando até porque não curto ficar pra trás nos argumentos, principalmente em defesa a nossa erva.

4) Qual a sua opinião sobre a legalização da maconha no atual contexto político-social nacional?
Resolvi responder esta pergunta de forma mais simples possível, apesar de automaticamente lembrarmos das novas leis nacionais decretadas ou em discussão entre “nossos representantes” e de todo o conteúdo que envolve o presente assunto, não vou me prender em citá-las aqui. Neste ano tivemos todas as manifestações e suas consequências, as quais acredito que divulgaram de certa forma o poder do povo de nosso país, como motivação a mais para nossa luta, o qual objetivo é a legalização da erva. Porém em minha opinião, nesta merda de sociedade em que vivemos, todo o preconceito encravado nela, e principalmente a criminalização que está ainda sufocando a maconha e muitos, senão todos os seus usuários brasileiros são alguns pontos que mais atrapalham no andamento saudável do nosso propósito. Devemos focar então em um degrau de cada vez – como pelo que tenho acompanhado – já está sendo feito, ou seja, descriminalizá-la primeiramente, contando com demasiada ajuda de pessoas envolvidas dando a “cara a tapa” na internet ou nas marchas, para quebrar todos os tabus de décadas e décadas das famílias brasileiras, sem esquecer é claro, de que temos muitos obstáculos como algumas emissoras e o militarismo para enfrentar. Daí então, o processo não somente da legalização, como também da queda de conceitos velhos e podres acontecerá, de modo que assim desenrolará no seu exato tempo nossos objetivos, sem atropelar passos a serem dados, para que nada dê errado ( o que acredito ser a vontade infeliz de muitos que odeiam a maconha).

5) Como você gosta de gastar a onda?
Pô, na companhia de meus amigos e da natureza a onda fica da hora, ainda mais quando rola um improviso ou um clássico do reggae para brisa de boa. Mas no momento, uma das melhores sensações é quando fumo um e pego meu long, pra flutuar no asfalto, vou pra outra dimensão, sem dúvidas, melhor do que isso só na frente do mar com os pés na areia.

6) Uma boa música para ouvir chapada:
Poderia citar várias, uma é limitação demais pra mente, como ficaria sem: Led, Jimi, Janis, Bob, Zona Ganjah, 5’Nizza, Planet, Ponto, Snop, Raimundos, Tupac, Notorious, Bezerra, Ventania, Mato Seco, Diretoria dos Loko’s, Peter Tosh.. Hein? Hahahah Mas a que estou curtindo agora é Só quem é Louco – De menos crime:

7) Por que você quer ser a Miss Marijuana 2013?
Meu, simplesmente desde meus 16 anos eu quero ser a Miss Marijuana, eu tirava fotos e pah, quando completei 18 anos, mandei pro Mulher&Maconha e então morguei, não me liguei a tempo de participa do MissMarijuana2012, sei lá, Jah quis assim Hahahah.. Então, eu quero ser a eleita desse ano, porque eu fumo desde meus 13 anos, já sofri altas repressões policiais e preconceitos de diversos tipos e não me importo, não mudo de opinião pra pior, estou evoluindo minha mente ao passar dos anos e a maconha faz parte dessa evolução, contribui nas minhas meditações, me relaxa, complementa minha paz, me excita, sem contar que ela me livro de altas deprês, minha família é toda contra, mas não é atoa que fumo a quase 7 anos, não é atoa que nasci no dia internacional da nossa Linda e Gostosa Maconha (20/04). Com certeza, vou amar dividir o que sinto e penso sobre essa planta de Deus, porque minha beleza está nos detalhes, natural, contagiante e iluminada, como a nossa planta. THC é meu sangue cara, como diria um parceiro meu: Se maconha fosse carne eu já tinha meu açougue Hahah. Lutarei por ela seja lá como for, sempre com essa paz que meu sorriso transmite a quem se aproxima. Chega mais, apoia ai que meu conteúdo é demais pra esse espaço aqui.

8) Qual sua opinião sobre as outras drogas?
Cara, como eu não consumo bebidas alcoólicas, nem nicotina, muito menos outras drogas, não curto julgar. Entretanto, o álcool destruiu com o rim do meu pai, o cigarro com o pulmão do meu falecido cunhado, o crack com a vida e talento de vários parceiros meus e a cocaína ocasionou brigas entre meus melhores amigos e internação deles em função da alta dependência que a droga causa nos usuários, então, acredito que com exemplos verídicos e claros como tais, posso garantir, que não curto nada que faça mal as pessoas, “Fale no bem, faça o bem, acredite no amor e questione o que o sistema impõe..” Questione o porque da sociedade induzir tanto ao consumo de álcool, e principalmente, questione o porque falam tanto na maconha ao mesmo nível prejudicial de outras drogas, não devemos aceitar isso, nós mesmos somos provas vivas de que não é justo a maconha ser colocado ao lado dessas sujeiras. Não apoio a liberação de todas as drogas, pois acredito que isso ocasionaria no caos que o Governo tanto quer para justificar a resistência deles ao legalizar uma droga só – claro envolvendo propositalmente todas as outras para não haver conclusão saudável no país. Mas não sejamos hipócritas, já curti um tal de doce amargo ai que faz as coisas derreterem, com moderação hahahah.

9) Se pudesse escolher, moraria no Uruguai, na Holanda ou prefere esperar o Brasil legalizar?
O Brasil, apesar dos pesares, é lindo minha gente, claro que tenho vontade de fumar e curtir a onda em algum lugar já legalizado, porém eu fumo há anos aqui, em meio ao preconceito, dentro e fora de casa, com repressão da polícia ou não, então não escolho esperar o Brasil legalizar, eu escolho lutar aqui para descriminalizar essa planta perfeita e correr atrás com os irmãos envolvidos nesse objetivo, abrindo a cabeça de maior número de gente possível, estimulando a luta contra o comodismo de parte dos nossos usuários, pois toda ajuda é necessária. Além do mais, minhas raízes tem muito o que crescerem aqui, amo nossas laricas, nossas culturas verdadeiras, muito do nosso rap, nosso reggae na viola, nossa natureza, bah cara estou de boa, em casa.

10) Há quanto tempo acompanha o Hempadão e o que mais gosta no blog?
Curto o Hempadão desde 2010, mas claro que de um tempo pra cá, acompanho muito mais, até porque minha mente evoluiu demais, expansão indescritível, assim como o Hempada <3. Cara eu amava a Loucadora, agora tá rolando melhor ainda o Cinema em brasa, curto o Reeducação, o DesenhOnda porque eu também faço uns desenhos e pinto uns quadros muito loucos, e Torrando com Tomazine é demais, quando decidi me inscrever não pude deixar de pensar, no caso de eu ganhar o concurso, o fato de eu trocar altas ideias pessoalmente com o cara que acompanho a maior tempão pela internet, e bah muita mão fala tudo que eu “mais gosto” no Hempadão, tá tudo na mente. 😀



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina