A mudança na política de Drogas beneficia toda a Sociedade!

Chapa2

hempadao 19 agosto, 2014

por  Thales Henrique Coelho

O noticiário sobre drogas na última semana trouxe duas notícias muito interessantes, que servem pra mostrar como as políticas de drogas que não se baseiam no confronto e na proibição podem funcionar muito melhor que as tradicionais abordagens por parte do poder público. Uma delas diz respeito ao crack no Brasil, e outra sobre a maconha nos Estados Unidos. As duas histórias se relacionam, e são ótimos argumentos pra quem quer debater a proibição, onde quer que seja.

No dia 12 de agosto foi divulgado um balanço dos índices criminais da região da Cracolância, após sete meses da operação ‘De Braços Abertos’, da prefeitura de São Paulo. Pra quem não sabe, este é um projeto pioneiro no Brasil, que tem como foco principal a redução de danos e a oferta de trabalho e tratamento para os usuários de crack. O programa, que chegou a ser chamado pejorativamente de ‘Bolsa Crack’, por pagar para os dependentes químicos trabalhem, mostra resultados importantes.

Nestes sete meses, enquanto os roubos de carro subiram 42% na cidade de São Paulo, na cracolândia eles acabaram. Os furtos de carro na região também caíram 47%. No período, houve apenas um único homicídio na região. Um resultado considerável, que comprova a eficácia das políticas que buscam a redução de danos, a aproximação amigável entre usuários e os agentes de saúde, oferecendo alternativas e trabalho. É uma abordagem radicalmente oposta à da Prefeitura do Rio, por exemplo, que internava compulsoriamente os dependentes, em um programa que, inclusive, desviava dinheiro para o bolso do Secretário de Assistência Social. 

A outra notícia é do Colorado, o primeiro estado dos EUA a legalizar a maconha para fins recreativos. Lá, a maconha é vendida para adultos desde abril deste ano. E, ao contrário do que os arautos da proibição repetem sem parar, o uso da cannabis entre os adolescentes tem caído. 

Segundo integrantes do governo, isso se deve ao fato do aumento das campanhas educativas, e também ao fato de que, com a maconha legalizada, não há mais aquele deslumbre por se usar algo ilegal. Algo como o oposto ao "tudo que é proibido é mais gostoso", esse nosso velho ditado. Para a molecada de lá, a Maconha está virando uma droga de adultos. Ainda bem.

Como eu disse lá em cima, estas duas notícias são exemplos e, sobretudo, argumentos fortes pra qualquer discussão sobre drogas hoje. O proibicionismo repete uma velha receita falida, que não produz nenhum resultado positivo. Legalizar, mudar a abordagem sobre TODAS as drogas é essencial para avançarmos!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina