A importância da energia luminosa

Cultivo Vital

hempadao 15 dezembro, 2013

por Sergio Vidal

Essa semana recebemos uma mensagem com fotos pedindo uma ajuda para salvar algumas plantinhas.

“olá amigos, tenho 3 plantas , 2 estão no vaso e outra num vaso maior de terra, eu sou um plantador novo, tive sucesso em uma planta mas nao estou tendo nesse segunda, pode me ajudar a distinguir o sexo das plantas?”

Aparentemente o maior problema com essas plantinhas é a falta de luz. Plantas de cannabis precisam de muita luz. Iluminação intensa e duradoura. Quanto mais luz receberem, mais rápido e saudavel crescerão. Alguns cultivadores chegam a aplicar regime de luz de 18 a 24hs de luz diárias, em estufas que utilizam iluminação artificial. Só o fato de elas estarem ao lado de uma samambaia (planta de sombra), vemos que o ambiente está adequado para uma das duas e para a outra não. Tanto é que a samambaia está linda, falta apenas um pouco de magnésio e nitrogênio, talvez. Mas o fato dela estar na sombra, recebendo alguma claridade apenas indireta faz ela crescer bem. Mas a cannabis não funciona dessa maneira. Estou especulando que elas recebam luz indireta, ou pouca luz direta. Porque o leitor não me falou nada mais a respeito de como está o cultivo, o que limita minha capacidade de ajudá-lo. Aproveito para pedir que quem envie suas dúvidas também fale o básico sobre os cuidados com a planta, para que eu possa fazer um diagnóstico mais preciso. Quando vamos ao médico ele nos faz perguntas básicas sobre nossos hábitos cotidianos que podem interferir em nossa saúde. Com a planta é a mesma coisa. Sempre é bom saber ao menos 2 coisas básicas: o que elas comem (ou seja, como é o solo no qual estão cultivadas, se recebem fertilizantes, quais e com que frequência) e como elas vivem (se recebem luz direta, indireta, como é o ambiente onde estão).

Nas fotos vemos também que elas têm no caule um espaço grande entre os nós (onde nascem as folhas e galhos), ou como diz um amigo meu, nos “sovacos das plantas”. Isso significa que a planta está se esticando buscando a luz que ela não tem encontrado onde está. Plantas que têm iluminação em quantidade suficiente têm uma maior produção de folhagem e ramos e um crescimento mais acelerado. Plantas que recebem menos luz do que sua necessidade genética se esticam ao máximo para se aproximar da fonte de luz. O metabolismo da planta só funciona bem, em seu real potencial genético, quanto ela tem iluminação, circulação de ar, umidade, temperatura e quantidade e qualidade de nutrientes em condições adequadas. Quando tudo isso funciona em sintonia a planta responde positivamente mostrando sua saúde e vigor através da sua aparência. Plantas com caule e galhos bem verdes, fortes e bem ramificados; folhagem com verdor vivido, serrilhados e texturas características da cannabis bem marcadas, folhas bem formadas, tudo isso junto são sinais da saúde de planta. Quando uma característica importante como a iluminação é negligenciada, todas as outras deixam de funcionar direito e o crescimento da planta fica todo prejudicado.

Com iluminação do sol a planta precisa de ao menos 4/5 horas de luz de incidência direta para crescer e florir com saúde. Se tiver mais, melhor para sua saúde e produtividade. Abaixo disso ela já irá sofrer e se desenvolver com dificuldades. Em estufas de iluminação artificial, usando lâmpadas, os cuidados com o controle da qualidade do fluxo de energia luminosa deve ser ainda maior. Devem ser utilizadas sempre lâmpadas de boa qualidade, com alta produção de energia luminosa, medida em lumens (lm). Abaixo deixo uma ilustração que tem no meu livro, Cannabis Medicinal Introdução ao Cultivo Indoor, falando a respeito do mínimo de luz necessário para um crescimento decente utilizando iluminação de lâmpadas. Sugiro também a leitura de meu artigo sobre tipos de lâmpadas de cultivo: AQUI1499832_647013812017761_2003709987_n

Aproveito para dizer a todos que têm mandado mensagens perguntando sobre o livro. Estou sem livros em estoque no momento, e até o fim de janeiro devo ter mais livros e certamente voltarão a circular pelo país. Obrigado a tod@s pelo carinho!

Para concluir e não deixar sem resposta a questão de se são machos ou fêmeas. Bom, elas estão vegetando ainda, ou seja, estão só crescendo e não começaram a florir, o que torna impossível ver suas flores e saber a qual sexo correspondem. Mas indico o link do artigo sobre quais as diferenças entre machos e fêmeas: AQUI

Mais uma vez espero que tenham gostado do texto e, principalmente, que ele tenha ajudado a esclarecer mais a respeito da natureza da cannabis e do seu cultivo. Enviem suas mensagens, críticas, etc e, principalmente as dúvidas, preferencialmente com fotos, para o e-mail: hempadao@gmail.com

Até semana que vem! namaste!

Consulte outros artigos sobre cultivo: Clique Aqui  e aqui

*Antropólogo, Redutor de Danos e Cidadão Ativista engajado na construção de um Brasil com leis e políticas públicas sobre maconha e outras drogas mais humanas e eficientes.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina