7 Coisas que Todo Grower tem que Saber! [TopGanja #259]

TopGanja

hempadao 12 fevereiro, 2014

O TopGanja é o espaço do Hempadão onde fazemos uma lista básica relacionada ao universo da maconha. Listas fazem sucesso e por aqui já soltamos: 6 prisões idiotas por fumar maconha e 5 laricas que qualquer um adoraria comer. Hoje vamos falar sobre cultivo caseiro de maconha. E seguem abaixo 7 dicas que nenhum cultivador de maconha pode deixar de saber… caso queria fazer uma boa colheita, né. É claro que o caminho de leituras e ensinamentos é longo, mas se você não sabe nada é certo de que essa lista simples vai te dar uma ponta de esperança, leia atentamente e aprenda sobre a natureza do bagulho:

1 – O Secreto local do Segrego: à prova de Tudo!

Não é lá tão fácil pensar em um local que seja, ao mesmo tempo, à prova de luz, água e cheiro! Mas a verdade é que para ter um bom cultivo você precisa se esconder dos vizinhos (e as vezes dos seus próprios amigos). Para isso, tem de ser impossível que qualquer vestígio saia do seu grow. Não pode deixar escapar luzes, assim como não pode deixar que a luz de fora interfira no que acontece dentro do seu local de cultivo. Da mesma forma, não é legal que a o choro das suas plantas dê infiltração no apartamento de baixo ou molhe as roupas do seu armário. A água não pode sair e, da mesma forma como a luz, também não pode entrar, afinal, aparelhos eletrônicos não estão lá muito dispostos a uma tempestade, não é mesmo? E por fim, o cheiro! Esse só sai. E como sai! Se você já teve um belo jardim florando, sabe do que estou falando. Para evitar que o cheiro forte das flores não invadam o prédio, a casa e o quarteirão, existem tecnologias como o filtro de carvão que podem ajudar não rodar pelo odor. Ah… quase esqueço, também é preciso se preocupar com o barulho, para isso existe no mercado uma peça de nome autoexplicativo: os silenciadores.

2 – Ar Renovado e Brisa Constante!

Apesar de não poder marolar o ambiente, a planta necessita de ar puro, renovado, ou seja, é preciso que algum objeto de extração de ar puxe ou jogue continuamente corrente de ar para dentro do grow, o que potencializa a ventilação do maravilhoso cheiro da planta. Essas peças geralmente são vilãs na arte explanativa do barulho mas são essenciais para a natureza de qualquer cultivo. Acontece que além da troca de ar, a erva gosta também de um vento contínuo que as estimule – é saudável para desenvolvimento do caule e da estrutura da planta como um todo, além de refrescar o ambiente.

3 – O Vaso – Quando mais espaço melhor

Muitos growers já se desiludiram em colher nos famosos vasos de 7 (litros). É claro que tem quem fique autossustentável como potes de sorvete, mas a verdade é que biologicamente o argumento é simples: vasos maiores propiciarão uma estrutura diferenciada para  a planta. Então não é questão de colher melhor, mas sim de colher mais. Com vasos maiores, a planta terá condição de crescer melhores raízes e por isso suportar mais o peso das flores.  Outra coisa importante é SEMPRE furar o fundo dos baldes ou vasos, pois é preciso que a água da rega desça, caso contrário, o acúmulo causará o surgimento de bactérias e infecções que certamente apodreciam as raízes e matariam as plantas.

4 – Vega e Flora – Fases da Planta

Qualquer pessoa que pretenda plantar precisa saber que a maconha como muitas outras plantas tem seu desenvolvimento em duas fases controladas pela quantidade de luz e escuridão. Depois de germinada a planta entra em estágio vegetativo onde precisa receber no mínimo 18 horas de luz por dia. Nesse período a planta não produz THC, mas sim ganha tamanho. Ela pode ficar assim pelo tempo que você bem quiser. Mas caso queira saber o sexo e colher algo um dia é preciso passar para o período de floração e para isso basta que a planta receba 12 horas de luz e 12 de escuridão. Aí sim, a mágica começa…

5 – E agora: Macho ou Fêmea?!

Com até duas semanas de floração já deve ser possível perceber o sexo da planta. Se for macho, você poderá produzir sementes caso ele solte o pólen em alguma das possíveis fêmeas. Se for fêmea, agradeça a Jah, terás camarões em alguns meses, se tudo der certo. Como diferenciar?! Em até 15 de flora as fêmeas começam a dar pistilos e o macho mostra a cara com sacos que depois evoluem para algo como mostra a foto ao lado, veja:

macho_femea_diferencas_plantas_maconha

6 – Temperatura – Calor não ajuda na Resina!

Apesar dela ser capaz de aguentar temperaturas extremas, não é nelas que ela realmente gosta de florir. A temperatura considerada ideal para a maconha é entre 22 e 26 graus. Abaixo dos 14 o crescimento das raízes fica comprometido. Já em temperaturas acima de 28 pestes e pragas vão ter condições melhores de propagação. Vale lembrar que além do calor característico de quase todo o Brasil (tirando o Sul), as HPS são as grandes vilãs da conta de luz e também do aumento da temperatura no grow. O ideal é um ar condicionado com climatizador… não precisa nevar no grow, mas com temperatura controlada, vai nevar nos buds (muita resina)!

7 – PH e Fertilizantes – A Química da Erva

É preciso que tanto o solo quanto a solução que vai alimentar a planta estejam regulados em seu nível de PH ou então a planta corre o risco de não conseguir absorver os nutrientes. Uma variação considerada ideal para o PH do solo é entre 6.3 e 6.8. Ao buscar fazer a rega com fertilizantes é bom lembrar o que realmente a planta precisa em cada uma das suas fases. Os chamados macro-nutrientes são Nitrogênio [N], Fósforo [P] e o Potássio [K], o famoso NPK, que serve como padrão para embalagens de fertilizante, onde se diz: 20-10-10, ou seja, maior concentração de Nitrogênio, ideal para crescimento vegetativo. Ou algo como 5-20-10, em caso de um fert para a floração. Um erro muito comum entre iniciantes é exagerar no fertilizante e ver seu sonho de colher ganhar garras ao invés de folhas verdes e saudáveis – controle o PH e sua ansiedade. Deixe o solo secar e só depois disso faça outra rega.

Talvez esteja faltando algo, se estiver, fizemos jus a tradição de toda e qualquer lista… sempre falta algo. Mas você, grower consciente e afim de salvar a galera, se lembrar de alguma coisa que tenha faltado, fique a vontade e fala aí na roda. Faltou falar de luzes, lâmpadas, hidroponia, clones, germinação…  mas é que cultivo não é mesmo para qualquer um: é preciso ir além da página um. Essa lista é só um começo, um incentivo e uma luz – pois muitos maconheiros não sabiam que fumavam as flores fêmeas da Cannabis.

A lista foi inspirada e pautada pelo manual básico do Horta de Couve, lá de Portugal.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Papelito
Banner Sedina